Olá galerinha, tudo bem com vocês? Mais uma vez venho pedir desculpas pelo sumiço, mas é que com a flexibilização da pandemia as coisas voltaram a funcionar e agora sou oficialmente um DJ, então tá complicado ler e tocar. Mas separei um lançamento todo especial para compensar tudo isso, preparados?!

A cidadezinha de Osborne, no interior do Nebraska, amanhece com duas notícias igualmente chocantes para seus moradores: a primeira é que Ollie Larsson, “garoto-problema” da escola, pintou o cabelo de rosa. A outra? O assassinato brutal da jovem Haley Whitehall. E logo fica evidente que a morte dela não será a última, porque um assassino está à solta, e ninguém está a salvo.

Makani Young sabe bem disso. Morando há quase um ano com a avó, a jovem está se adaptando ao novo lar, mas ainda é atormentada por seu passado no Havaí. E, conforme os alunos de sua escola começam a ser assassinados de forma cada vez mais perturbadora, ela se dá conta de que sua hora talvez esteja mais próxima do que imagina.

Sem escapatória, Makani se lança em uma busca arriscada e alucinante pelo autor dos crimes, enquanto é forçada a encarar sentimentos inesperados e seus segredos mais sombrios.
~
 
Já posso começar dizendo que nunca senti tanto medo e apreensão numa leitura antes, é realmente incrível a atmosfera criada pela autora quase sensorial de tão profunda nas descrições. Também é interessante ressaltar: não é o meu primeiro contato com Perkins, dela já li Lola e o Garoto da Casa ao Lado e assim... Dois mundos totalmente distintos, embora hajam elementos de romance no título em questão mas Lola é água com açúcar demais.
 

via GIPHY

Sobre a história ela é bem parecida com o livro anteriormente resenhado aqui, com a diferença de se passar nos dias atuais além de ser levemente (MUITO MAIS) violenta. Senti que a autora não teve pena dos leitores e carregou no sangue, parafraseando minha Mãe "se espremer as páginas o sangue pinga" mesmo assim foi uma experiência muito "legal", macabra e justamente por essas questões gosto de sair da zona de conforto.

O plot twist existe, é real e sinceramente não esperava por aquilo, quem menos você imagina é o assassino fiquei no chão quando houve a revelação, me pegou!!!!
É legal o núcleo escolar, as amizades, boatos e a parte familiar (Makani tem um problema sério com a Mãe), ela também esconde um segredo que inicialmente a autora faz um escarcéu e quando o revela é tão simplório... Talvez o único ponto negativo da trama toda, pois desde o início te prende de um jeito indescritível, já mostrando o potencial e a primeira morte sem você sequer esperar, quando estava se acostumando a Haley a autora espera você gastar todos os créditos achando que o livro será sobre ela (não exatamente).

Claro que existem mais livros no estilo, mas esse foi meu primeiro contato com o subgênero Slasher, onde o assassino mata com requintes de crueldade e geralmente com uma arma branca fazendo o trabalho manual. Tiveram partes em que fiquei mal de verdade absorvendo aquela "energia" pra mim e precisei fazer uma pausa, respirar fundo até me convencer de que era apenas uma história, só um livro muito bem escrito.

No meio da sangria ainda deu tempo da melação habitual de Perkins com o amorzinho fofo intragável do comercial de margarina, mas se eu disser que até isso tem coerência aqui?! Ela pegou 2 personagens "outsiders" os típicos excluídos da escola e criou um laço amoroso entre eles logo de primeira, funcionou tão bem que até ME convenceu, logo eu, totalmente anti-açúcar nos livros. Ela realmente tá de parabéns com esse título.
 

via GIPHY

A representatividade é bem forte aqui, temos trans, negros, asiáticos, lésbicas, devidamente representados de maneira natural como deve ser.
Embora algumas pessoas (a maioria) não ficaram satisfeitas com o final, eu gostei, o problema é que poderia ter mostrado um pouco mais além cair naquele clichê de "meses depois" só para matar a fofoqueira interna em todos nós. Senti que foi um final abrupto.

Fiquei bem feliz quando vi que a Intrínseca trouxe para a gente pois desde o lançamento anos atrás me deixou curioso, mas com o pé atrás por conta da trilogia de Lolla. Não me arrependo de ter dado essa chance, que livro meus amigos, que história!
 

Quotes:
 
Não é estranho como, no momento em que alguém morre, todo mundo se torna melhor amigo da pessoa? 
 

Era triste que as pessoas só se entendessem na infelicidade. 
 
 
Qualquer um poderia parecer sinistro quando visto pelas lentes do medo. 
 
 
A mudança vem de dentro, leva muito tempo e só é feita com a ajuda de pessoas que amam você. 

 

Compre: